Precisamos de mais Kaepernick(s) no esporte, principalmente no Brasil

Colin Kaepernick é um dos nomes mais falados nos últimos dias. O jogador profissional da NFL, a liga norte-americana de futebol americano, estampou a campanha publicitária da Nike, que comemora o 30º aniversário do “Just Do It”, famoso slogan da empresa. A repercussão foi imediata, com muitos adorando e outros odiando a iniciativa da marca de roupas e materiais esportivos.

Fato é, que tudo isso, toda essa repercussão aconteceu, em virtude de Kaepernick. Ex-quarterback do San Francisco 49ers, ele foi um dos primeiros jogadores a protestarem durante o hino dos Estados Unidos nas partidas da NFL, em 2016. O motivo da manifestação, era seu posicionamento contra a violência policial contra negros, que ocorria (e sempre ocorreu) no país. A atitude de Kaepernick foi seguida por uma série de jogadores de outras equipes e esportes, causando um grande debate nos Estados Unidos.

O gesto do jogador recebeu críticas, até do presidente norte-americana. Donald Trump foi enfático ao demonstrar sua revolta com o que dizia ser “desrespeitoso à bandeira americana”. Por outro lado, Kaepernick recebeu apoio de muita gente, do esporte, fora dele, e claro, de muitos fãs. Mas, nem isso foi suficiente para manter o quarterback em atividade. Desde março de 2017, quando não renovou com os 49ers, o jogador está sem time, sem jogar e alega sofrer um boicote, em razão do seu posicionamento político.

Eu estou entre os que apoiam Kaepernick. Pessoas influentes, sejam esportistas ou não, deveriam se manifestar, expor seus posicionamentos, apoiar causas, lutar. Infelizmente no Brasil, não vemos esse tipo de atitude. São raros os casos (atualmente) de esportistas que, no exercício de sua profissão, exercem algum tipo de manifestação pública, contra ou a favor de algum assunto.

A “Democracia Corintiana” é um dos exemplos mais conhecidos de manifestação de esportistas no Brasil. Recentemente, tivemos o “Bom Senso FC”, movimento de atletas que pediam por melhores condições no futebol brasileiro. Outros casos, inclusive de outros esportes, já foram dados no país, mas em uma escala pequena e de curta duração. Não penso que atletas sejam obrigados a protestar, até porque, nós muitas vezes (ou na maioria delas) não protestamos. Mas seria muito importante que personalidades do esporte nacional pudessem se posicionar, como Kaepernick fez e trazer à tona discussões e reflexões.

O esporte precisa ter mais Kaepernicks para colocar mais o dedo na ferida!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s